11.9.18

Encontro com autores



No dia 14 de setembroàs 17h30 na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos, mais um “ENCONTRO COM AUTORES”. 
Desta vez uma sessão de apresentação do livro "Confissões De Uma Miúda Gira" de Ângela Caboz.

29.8.18

"Olhares de África" - Exposição de fotografia de Nuno Martins

Exposição de fotografia de Nuno Martins, presente de 3 a 28 de setembro de 2018, 
na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos - Tavira.


Olhares de África é um projecto solidário que tem como objectivo promover a escolaridade a um grupo de  crianças e jovens africanos, mais propriamente do Malawi. 
A ajuda à escolaridade destas crianças/ jovens passa por fornecer desde materiais escolares cadernos, livros e uniformes obrigatórios, até ao pagamento das matrículas, principalmente no ensino secundário, que
neste país, não é gratuito.
É assim um projecto de
angariação de fundos que
serão diretamente aplicados no local, sem intermediários.
Todo o processo  será
monitorizado e serão fornecidos, aos que queiram contribuir para
esta causa, os resultados
escolares das crianças e jovens.
Pode apoiar este projecto visitando a exposição fotográfica onde poderão encontrar algumas das imagens que resultaram  da minha viagem por África ou através da página de angariação de fundos do projecto no facebook. Este projecto foi criado por
Nuno Martins, o fotógrafo que realizou uma viagem pelo continente africano em agosto de 2017."  



27.8.18

O Autor do mês - Todos os meses, um autor em destaque!


Isabel Allende nasceu em 1942 no Peru. Viveu no Chile entre 1945 e 1975, com largos períodos de residência noutros locais, na Venezuela até 1988 e, desde então, na Califórnia. Em 1982, o seu primeiro romance, A casa dos espíritos, converteu-se num dos títulos míticos da literatura latino-americana. Seguiram-se muitos outros, todos êxitos internacionais. A sua obra está traduzida em trinta e cinco línguas. Foi galardoada com o Prémio Nacional de Literatura do Chile.
Recentemente foi homenageada pelo Presidente dos Estados Unidos da América, Barack Obama, com a Medalha Presidencial da Liberdade a mais importante distinção civil daquele país.


1.8.18

O Autor do mês - Todos os meses, um autor em destaque!



Miguel Real, pseudónimo de Luís Martins, nasceu em Lisboa em 1953 e é sintrense por adopção. É licenciado em Filosofia pela Universidade de Lisboa e Mestre em Estudos Portugueses pela Universidade Aberta com uma tese sobre “Eduardo Lourenço e a Cultura Portuguesa”, estando neste momento a preparar um doutoramento sobre a mesma temática.
Professor de Filosofia no ensino secundário e especialista em Cultura Portuguesa, possui uma vasta obra dividida entre o ensaio, a ficção e o drama (neste último género sempre em colaboração com Filomena Oliveira).
Em 2001, foi bolseiro do programa “Criar Lusofonia” do Centro Nacional de Cultura, tendo, ao abrigo dessa bolsa, percorrido o itinerário do Padre António Vieira pelo Brasil. Dessa viagem trouxe um diário, publicado em 2004, e material para um romance “O Sal da Terra” a publicar aquando da comemoração dos 500 anos do nascimento do jesuíta luso-brasileiro, em 2008.



18.7.18

XXIV - Feira do Livro


XXIV Feira do livro volta a integrar a programação do Verão em Tavira de 19 de julho a 05 de agosto, das 20h00 à 00h30 , na Rua do Cais.
Esta feira tem como objetivo difundir o livro e promover o gosto pela leitura. Ao longo dos vários stands poderá encontrar as principais editoras portuguesas. Decorrem em simultâneo atividades de animação infantil.

9.7.18

Café com sal


No próximo dia 13 de julho, sexta -feira,
convidamo-vos a estar presentes no Café com Sal na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos - Tavira.

Café com Sal, é uma tertúlia organizada pela associação Lais de Guia.

Espaço de conversa e partilha de experiências e memórias ligado às actividades marítimas.


3.7.18

O Autor do mês - Todos os meses, um autor em destaque!

Valter Hugo Mãe é um escritor português que nasceu [em 1971] numa cidade angolana outrora chamada Henrique de Carvalho, actual Saurimo.
Passou a infância em Paços de Ferreira e em 1980 mudou-se para Vila do Conde. Licenciou-se em Direito e fez uma pós-graduação em Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea na Faculdade de Letras da Universidade do Porto.
Em 1999 foi co-fundador da Quasi edições na qual publicou obras de Mário SoaresCaetano VelosoAdriana Calcanhotto, Manoel de Barros, António Ramos RosaArtur do Cruzeiro SeixasFerreira GullarAdolfo Luxúria Canibal e muitos outros.
Co-dirigiu a revista Apeadeiro, de 2001 a 2004 e em 2006 funda a editora Objecto Cardíaco.
Em 2007 atingiu o reconhecimento público com a atribuição do Prémio Literário José Saramago, durante a entrega do qual o próprio José Saramago considerou o romance o remorso de baltazar serapião um verdadeiro tsunami literário: "Por vezes, tive a sensação de assistir a um novo parto da Língua portuguesa".
Para além da escrita tem-se dedicado ao desenho, com uma primeira exposição individual inaugurada em Maio de 2007, na Galeria Símbolo, no Porto, e à música, tendo-se estreado como voz do grupo Governo em Janeiro de 2008, no Teatro do Campo Alegre, também no Porto.
Desde o fim de 2012 apresenta um programa de entrevistas no Porto Canal.
Os quatro primeiros romances de Valter Hugo Mãe são conhecidos como a tetralogia das minúsculas. Escritos integralmente sem letras capitais, incluindo o nome do autor, pretendiam chamar a atenção para a natureza oral dos textos e recondução da literatura à liberdade primeira do pensamento. As minúsculas aludem também a uma utopia de igualdade. Uma certa democracia que equiparava as palavras na sua grafia para deixar ao leitor definir o que devia ou não ser acentuado.
É considerado por alguns como um dos mais conceituados autores portugueses.”

“[...]Publicou sete romances: Homens imprudentemente poéticosA desumanizaçãoO filho de mil homensa máquina de fazer espanhóis (Grande Prémio Portugal Telecom Melhor Livro do Ano e Prémio Portugal Telecom Melhor Romance do Ano); o apocalipse dos trabalhadoreso remorso de baltazar serapião (Prémio Literário José Saramago) e o nosso reino. Escreveu alguns livros para todas as idades, entre os quais: Contos de cães e maus lobosO paraíso são os outrosAs mais belas coisas do mundo e O rosto. A sua poesia encontra-se reunida no volume publicação da mortalidade. Publica a crónica Autobiografia Imaginária no Jornal de Letras.

15.6.18

Encontro com autores

Dia 16 de Junho, pelas 16h30, decorrerá na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos, em Tavira mais um Encontro com Autores.
Desta vez será com Paulo Cunha, autor de “Cem desabafos… sem espinhas”, que conversará com Pedro Jubilot, também ele autor de livros, textos vários e editor.

Cem Desabafos… Sem Espinhas  “são desabafos meus”, como o define o autor, não reduzidos à exteriorização de sentimentos penosos ou reprimidos, mas a expressão espontânea de ideias, ideais, emoções, contradições, sem atingir culpados ou fazer catarses, “sem espinhas”.
Conjunto de cem crónicas que não seguem uma metodologia definida e cujos   temas vão desde a notícia que saiu no jornal, à conversa entre amigos, cenas do quotidiano, confissões, conflitos de gerações ou relações afetivas, exteriorização de um pensamento ou sentimentos, comemorações de efemérides, política ou cultura e o Algarve sempre presente.
Numa linguagem clara,  marcada pela simplicidade e fluidez, levando aqueles que o leem a uma reflexão ou incitando-os à argumentação contraditória, Cem Desabafos… Sem Espinhas é uma partilha com o leitor daquilo que pensa e o que sente o autor, num tom por vezes intimista ou irreverente, com graça e perspicácia mas também perturbador.

Paulo Cunha (1964, Albufeira)
É professor de Educação Musical no Agrupamento de Escolas João de Deus – Faro.
Em 1992, fundou o grupo Vá-de-Viró, do qual é músico. Em 1999, fundou o Coral Feminino Outras Vozes, do qual é diretor coral. Em 2000, conjuntamente com quatro amigos, fundou a Associação Cultural Música XXI, na qual integra os seus órgãos sociais. Em 2005, conjuntamente com três colegas, fundou o Conservatório de Música de Olhão, no qual integra os seus órgãos sociais. É produtor e diretor artístico de vários ciclos musicais.
Integrou o Grupo Barroco do Algarve e o Grupo de Música Antiga do Conservatório Regional do Algarve. Em 1994, fundou o Coral Polifonia Portuguesa do Conservatório Regional do Algarve, do qual foi diretor coral. Gravou e produziu vários cd.
Foi professor no Conservatório Regional do Algarve. Foi professor convidado na Escola Superior de Educação de Faro – Universidade do Algarve.
É cronista na publicação Algarve Informativo, desde 2015. Foi editor musical e escreveu sobre música na revista Em Cena. Foi articulista no jornal Meridional e no jornal Notícias do Algarve.
Integrou o Conselho Cultural da Estrutura de Missão “Faro Capital Nacional da Cultura 2005”. Em 2007, foi agraciado com a Medalha de Mérito Municipal – Grau Ouro pela Câmara Municipal de Faro.

PEDRO JUBILOT (1964, Olhão)
Editou fanzines, webzines e outras folhas volantes. Em 2001 foi vencedor do concurso ‘Micro-contos de Natal’ do jornal ‘Público’ com «Visita».
É membro da direcção da Associação Casa Álvaro de Campos de Tavira e escreve mensalmente no jornal Postal do Algarve/Cultura Sul a crónica «Quotidianos Poéticos».
Em 2013 saiu com o seu primeiro livro «Postais da Costa Sul», que serviu de mote para a seguir criar com Jorge Jubilot (fotografia) a CanalSonora - uma pequena estrutura independente, sem fins lucrativos, que se centra na divulgação artística, essencialmente na escrita e na imagem. O seu mais recente livro é «Telegramas do Mediterrâneo» uma viagem poética à volta da costa mediterrânica.

6.6.18

Café com sal


No próximo dia 08 de junho, sexta -feira,

convidamo-vos a estar presentes no Café com Sal, tertúlia organizada pela associação Lais de Guia , na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos - Tavira.

Espaço de conversa com o Centro de Ciência Viva de Tavira, cujo o tema abordado será "O plástico e o Mar | The Plastic and the Sea".

5.6.18

O Autor do mês - Todos os meses, um autor em destaque!


“Jorge Amado nasceu a 10 de agosto de 1912, na fazenda Auricídia, no distrito de Ferradas, município de Itabuna, sul do Estado da Bahia. Filho do fazendeiro de cacau João Amado de Faria e de Eulália Leal Amado.
Com um ano de idade, foi para Ilhéus, onde passou a infância. Fez os estudos secundários no Colégio Antônio Vieira e no Ginásio Ipiranga, em Salvador. Neste período, começou a trabalhar em jornais e a participar da vida literária, sendo um dos fundadores da Academia dos Rebeldes.
Publicou seu primeiro romance, O país do carnaval, em 1931. Casou-se em 1933, com Matilde Garcia Rosa, com quem teve uma filha, Lila. Nesse ano publicou seu segundo romance, Cacau.
Formou-se pela Faculdade Nacional de Direito, no Rio de Janeiro, em 1935. Militante comunista, foi obrigado a exilar-se na Argentina e no Uruguai entre 1941 e 1942, período em que fez longa viagem pela América Latina. Ao voltar, em 1944, separou-se de Matilde Garcia Rosa.
Em 1945, foi eleito membro da Assembleia Nacional Constituinte, na legenda do Partido Comunista Brasileiro (PCB), tendo sido o deputado federal mais votado do Estado de São Paulo. Jorge Amado foi o autor da lei, ainda hoje em vigor, que assegura o direito à liberdade de culto religioso. Nesse mesmo ano, casou-se com Zélia Gattai.
Em 1947, ano do nascimento de João Jorge, primeiro filho do casal, o PCB foi declarado ilegal e seus membros perseguidos e presos. Jorge Amado teve que se exilar com a família na França, onde ficou até 1950, quando foi expulso. Em 1949, morreu no Rio de Janeiro sua filha Lila. Entre 1950 e 1952, viveu em Praga, onde nasceu sua filha Paloma.
De volta ao Brasil, Jorge Amado afastou-se, em 1955, da militância política, sem, no entanto, deixar os quadros do Partido Comunista. Dedicou-se, a partir de então, inteiramente à literatura. Foi eleito, em 6 de abril de 1961, para a cadeira de número 23, da Academia Brasileira de Letras, que tem por patrono José de Alencar e por primeiro ocupante Machado de Assis.
A obra literária de Jorge Amado conheceu inúmeras adaptações para cinema, teatro e televisão, além de ter sido tema de escolas de samba em várias partes do Brasil. Seus livros foram traduzidos para 49 idiomas, existindo também exemplares em braile e em formato de audiolivro.
Jorge Amado morreu em Salvador, no dia 6 de agosto de 2001. Foi cremado conforme seu desejo, e suas cinzas foram enterradas no jardim de sua residência na Rua Alagoinhas, no dia em que completaria 89 anos.
A obra de Jorge Amado mereceu diversos prêmios nacionais e internacionais, entre os quais destacam-se: Stalin da Paz (União Soviética, 1951), Latinidade (França, 1971), Nonino (Itália, 1982), Dimitrov (Bulgária, 1989), Pablo Neruda (Rússia, 1989), Etruria de Literatura (Itália, 1989), Cino Del Duca (França, 1990), Mediterrâneo (Itália, 1990), Vitaliano Brancatti (Itália, 1995), Luis de Camões (Brasil, Portugal, 1995), Jabuti (Brasil, 1959, 1995) e Ministério da Cultura (Brasil, 1997).
Recebeu títulos de Comendador e de Grande Oficial, nas ordens da Venezuela, França, Espanha, Portugal, Chile e Argentina; além de ter sido feito Doutor Honoris Causa em 10 universidades, no Brasil, na Itália, na França, em Portugal e em Israel. O título de Doutor pela Sorbonne, na França, foi o último que recebeu pessoalmente, em 1998, em sua última viagem a Paris, quando já estava doente.
Jorge Amado orgulhava-se do título de Obá, posto civil que exercia no Ilê Axé Opô Afonjá, na Bahia.”

Biografia | Fundação Casa de Jorge Amado - In: http://www.jorgeamado.org.br/?page_id=75      

17.5.18

Encontro com autores


No dia 18 de maioàs 18h00 na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos, mais um “ENCONTRO COM AUTORES”. 
Desta vez uma sessão de apresentação do livro "Dentro de ti, moras tu" de Margarida Maria Diniz.

15.5.18

Café com sal



No próximo dia 17 de maio, quinta -feira,
convidamo-vos a estar presentes no Café com Sal, tertúlia organizada pela associação Lais de Guia , na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos - Tavira.

Espaço de conversa e partilha de experiências e memórias ligado às actividades marítimas.



12.5.18

9.5.18

Formação "O Livro: cabeça, tronco e membros"



No próximo dia 12 de maio, sábado, 
convidamo-vos a estar presentes na Formação 
"O Livro - cabeça, tronco e membros" a decorrer na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos - Tavira.

Entre as 10h30 e as 18h30, as formadoras, Antonella Gilardi, Leonor Pêgo e Vera Baptista, em três momentos ao longo do dia, abordarão o Livro ligando-o aos processos criativos, às expressões artísticas e ao lúdico. O Livro será o ponto de partida para três sessões de descoberta, onde de uma forma interdisciplinar, se abre o leque de possibilidades no desenvolvimento de projectos com crianças e jovens.

Esta formação está aberta a professores, educadores ou bibliotecários, bem como a todos os interessados e amantes de livros em geral.

A inscrição poderá ser realizada por email para: sementedealfarroba@gmail.com 
por telefone: 96 654 56 35

Entrada livre

Ao fim do dia a partir das 20h teremos jantar no Malhão, convívio e histórias à fogueira, com as contadoras de histórias Antonella Gilardi e Vera Baptista.
A participação é livre.

O jantar terá um custo de 5 euros (quem estiver interessado em jantar faça a sua inscrição através dos canais anteriormente mencionados.

Sobre as formadoras

Antonella Gilardi
Formadora, professora e técnica/animadora na área lúdica, do teatro, da expressão dramática e da educação não formal em geral. Cofundadora da Associação Contrabandistas de Estórias e membro da Associação Partilha Narrativa, desempenha actividade de contadora de histórias e dinamiza oficinas e projectos à volta dos livros para crianças, da mediação da leitura e da criação de oficinas lúdico/ artísticas.

Leonor Pêgo
Nasceu em 1979 em Lisboa.
Formada em escultura pela FBAUL.
Vive e trabalha na Parede sempre inspirada pela proximidade do mar e pela natureza. Mãe de duas filhas e amante de livros, trabalha há vários anos em contextos escolares desenvolvendo projetos em torno do livro como objeto artístico e na implementação de ludo bibliotecas. Paralelamente desenvolve oficinas artísticas em serviços pedagógicos, nomeadamente na Fundação Calouste Gulbenkian e no Teatro Municipal Maria Matos.

Vera Baptista
Encantada, desde muito pequena, pelo poder dos livros e das histórias escolheu em adulta partilhar este encantamento com o público. Tendo a Psicologia como formação académica, descobriu o reflexo da essência humana na escuta das histórias tradicionais e na leitura de alguns “bons livros” para a infância.
Teve formação em técnicas de narração oral e de leitura em voz alta com Carlos Paulo, Diego Parra Duque, Cristina Paiva, António Fontinha, Luís Carmelo, Filipe Lopes, Estrella Ortiz e Rodolfo Castro. O Curso de Dança na Comunidade deu-lhe vontade de “levar” o corpo para as histórias que conta. Participou enquanto contadora em alguns espaços como: Fnac/Espaço Infantil, Livraria Cabeçudos, Livraria Gatafunho, Feira do Livro de Lisboa, Biblioteca Municipal de São Domingos de Rana, Biblioteca Infantil e Juvenil / Biblioteca Municipal de Cascais e Ludo-biblioteca da EB Parede, entre outros. Desenvolve, de há alguns anos a esta parte, a dinamização das bibliotecas escolares de algumas escolas do 1º Ciclo do Ensino Básico nos Concelhos de Lisboa e de Cascais.

4.5.18

Karl Marx (200 anos)


Vai estar presente na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos a partir do dia 05 de maio uma mostra bibliográfica de forma a celebrar os 200 anos do filósofo e revolucionário alemão
Karl Marx (5 de Maio de 1818 - 14 de março de 1883).

Breve nota biográfica de Karl Marx

Karl Marx foi um filósofo e revolucionário socialista alemão. Criou as bases da doutrina comunista, onde criticou o capitalismo. A sua filosofia exerceu influência em várias áreas do conhecimento, Sociologia, Política, Direito, Teologia, Filosofia, Economia, entre outras.
Karl Marx nasceu em Trèves (Trier), cidade ao sul da Prússia - um dos muitos reinos em que a Alemanha estava fragmentada.
Filho de Herschel Marx, advogado e conselheiro de justiça, descendente de judeu, era perseguido pelo governo absolutista de Frederico Guilherme III.
Em 1835 concluiu os estudos no Liceu Friedrich Wilhelm. Ainda nesse ano e boa parte de 1836, Marx estudou Direito, História, Filosofia, Arte e Literatura na Universidade de Bona.
No final de 1836, vai para Berlim, onde se propagam as ideias de Hegel, destacado filósofo e idealista alemão. Marx alinha-se com os "hegelianos de esquerda", que procuram analisar as questões sociais, convictos da necessidade de levar a cabo transformações na burguesia da Alemã.
Entre 1838 e 1840, dedica-se à elaboração da sua tese. Doutorou-se em Filosofia em 1841, na Universidade de Jena, com a tese "A Diferença Entre a Filosofia da Natureza de Demócrito e a de Epicuro".
Por motivos políticos, Marx não é nomeado professor, as universidades não aceitam mestres que seguem as ideias de Hegel. Desiludido, dedica-se ao jornalismo. Escreve artigos para os Anais Alemães, de seu amigo Arnold Ruge, mas a censura impede a sua publicação. Em Outubro de 1842, muda-se para Colônia, e assume a direção do jornal Gazeta Renana, mas logo após a publicação do artigo sobre o absolutismo russo, o governo fecha o jornal.
Em Julho de 1843, casa-se com Jenne, irmã de seu amigo Edgard von Westphalen. O casal muda-se para Paris, onde Marx junto com Ruge funda a revista "Anais Franco Alemães", e publica os artigos de Fredrich Engels. Publica também "Introdução à Crítica da Filosofia do Direito de Hegel" e "Sobre a Questão Judaica". Ingressa numa sociedade secreta e acaba por ser expulso da cidade.
No final de 1844, Marx começa a escrever para o "Vornaerts", em Paris.
As opiniões expressas desagradam ao governo de Frederico Guilherme V, imperador da Prússia, que pressiona o governo francês a expulsar os colaboradores da publicação, entre eles Marx e Engels. Em Fevereiro é obrigado a sair da França e vai para a Bélgica.
Dedica-se a escrever teses sobre o socialismo e mantém contato com o movimento operário europeu. Funda a "Sociedade dos Trabalhadores Alemães". Junto com Engels, adquirem um semanário e integram-se na "Liga dos Justos", entidade secreta de operários alemães, com filiais por toda a Europa. No Segundo Congresso da Liga, foi-lhes solicitada a redacção de um manifesto.
No dia 21 de Fevereiro de 1848, com base no trabalho de Engels, Os Princípios do Comunismo, Marx escreve o "Manifesto Comunista", onde esboça suas principais ideias sobre a luta de classes e o materialismo histórico. Critica o capitalismo, expõe a história do movimento operário, e termina com um apelo à união dos operários de todo o mundo.
Pouco tempo depois, Karl Marx e sua mulher são presos e expulsos da Bélgica.
Depois de vários exílios e privações, Marx instala-se em Londres.
Apesar da crise, em 1864 funda a "Associação Internacional dos Trabalhadores", que fica conhecida como "Primeira Internacional".
Com a ajuda de Engels, publica em 1867, o primeiro volume da sua mais importante obra, "O Capital", em que sintetiza suas críticas à economia capitalista.
Karl Heinrich Marx morreu em Londres, no dia 14 de março de 1883.


Baseado na e-biografia de Karl Marx in: https://www.ebiografia.com/karl_marx/

3.5.18

O Autor do mês - Todos os meses, um autor em destaque!


Mário Cláudio, pseudónimo de Rui Manuel Pinto Barbot Costa, nasceu no Porto em 1941.
Frequentou o curso de direito em Lisboa, tendo-o terminado na Universidade de Coimbra. Frequentou a Universidade de Londres, graduando-se como Master of Arts. De regresso a Portugal, tem exercido funções como técnico do Museu Nacional de Literatura e como professor universitário. Ganhou o prémio APE de Romance e Novela em 1984 com a obra Amadeo. É considerado um dos mais importantes autores portugueses das últimas duas décadas. Embora se tenha dedicado à poesia, ao teatro e ao ensaio, é no romance que Mário Cláudio mais se tem destacado. Em 2004 foi agraciado com o Prémio Fernando Pessoa.


2.5.18

Tavira representada no Concurso Nacional de Leitura

Estão já apurados os alunos que irão representar Tavira, na segunda fase do Concurso Nacional de Leitura (12.ª iniciativa do Plano Nacional de Leitura), no próximo dia 18 de maio, em Monchique.
Este concurso abrange três eliminatórias (concelhia, distrital e nacional), sendo que foram selecionados para representar o concelho tavirense, a nível distrital, os seguintes alunos:

1.º Ciclo – Maria Eduarda Reis Antunes Justi Lopes
Agrupamento de Escolas Dr. Jorge Augusto Correia


2.º Ciclo – Carolina de Sousa
Agrupamento de Escolas D. Manuel I


3.º Ciclo – Beatriz Gomes Saraiva
Agrupamento de Escolas Dr. Jorge Augusto Correia


Ensino Secundário – Enya Catherine Gomes Lenonn
Agrupamento de Escolas Dr. Jorge Augusto Correia

As obras escolhidas para cada ciclo são:
1.º Ciclo – “Valéria e a Vida” de Sidónio Muralha
2.º Ciclo – “Os Piratas” de Manuel António Pina
3.º Ciclo – “A Bicicleta que tinha bigodes” de Ondjaki
Ensino Secundário – “Contos Vagabundos” de Mário de Carvalho

20.4.18

Dia Mundial do Livro 2018

O Dia Mundial do Livro é comemorado, desde 1996 e por decisão da UNESCO, a 23 de Abril. Pretende anualmente promover o prazer da leitura e o respeito pelos livros e pelos seus autores.



Esta data foi escolhida com base na tradição catalã segundo a qual, neste dia, os homens oferecem às suas «damas» uma rosa vermelha de S. Jorge e recebem em troca um livro, testemunho das aventuras do cavaleiro. Em simultâneo, é prestada homenagem à obra de grandes escritores, como Shakespeare, Cervantes e Garcilaso de la Vega, falecidos em abril de 1616.

Em 2018, e porque se comemora o Ano Europeu do Património Culturala Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas quis relacionar a noção de património com o valor cultural e intemporal do Livro e da Leitura. Resultado do conjunto de várias forças, desde o autor ao leitor, passando pelo editor, tradutor, revisor, designer, ilustrador, tipógrafo, livreiro, animador da leitura, o Livro encontra o seu valor intemporal quando é lido e passado de geração em geração, de uma língua para outra língua, de um suporte para outro suporte de leitura.

O cartaz deste ano, baseado numa fotografia que a fotógrafa Luísa Ferreira concebeu no Arquivo Nacional Torre do Tombo, com design da LUPA Designers, pretende transmitir, metonimicamente, que um livro cruza justamente tudo isto: tempo, espaço, língua, cultura, imagem, suporte, fotografia, escrita, mas também uma leitura e muitas leituras, prazer e fruição.  

14.4.18

Encontro com autores

No dia 20 de Abril, às 18h00 na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos, mais um “ENCONTRO COM AUTORES”. 
Desta vez com Ana Patrícia Mendes que apresenta o seu livro "Bem te Queres Flor"

“É uma história que representa o processo de nos permitirmos conhecer a nós na nossa verdadeira essência, permite à personagem principal sentir-se e autoconhecer-se, revelações que se farão através da própria natureza, pela mão de uma Flor, tão esguia quanto forte, igual e diferente de tantas outras.”

Como dizia Stephen Hawking, falecido recentemente, A inteligência é a capacidade de adaptação à mudança.
Ana Patrícia Mendes diz de si “[que tem] 43 anos cresci, percebi e entendi. Entendi o poder que detemos e que tantas vezes duvidamos, entendi a importância de viver, em especial connosco, de seguida com os outros, porque o que Sou retrata algo que fui mas que quis melhorar. Sem medos, sem dúvidas, acreditando em algo especial, que não está exterior a mim, pois reside dentro de mim para o Mundo que me e nos rodeia.
[…] Hoje tenho sonhos para mim, mas tenho o sonho de semear algo no mundo que floresça cada dia um pouco e que se consiga elevar as pessoas ao encontro delas próprias e da sua felicidade, tal como eu encontrei a minha, quando olhei para trás e percebi que nada podia ter sido diferente, se não não era o que hoje Sou…”

Curso: Pensamento Positivo


13.4.18

Foi assim... Uma noite na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos

Numa iniciativa conjunta, as Bibliotecas Públicas Municipais do Algarve (BIBAL) organizam, ao longo da primeira semana de abril, diversas atividades para crianças e famílias, culminando as comemorações do Dia Internacional do Livro Infantil com "Uma noite na Biblioteca", em cada biblioteca, no sábado, dia 7 de Abril. Ao início da noite, as portas das várias bibliotecas abrir-se-ão para atividades de animação da leitura, descoberta dos espaços e surpresas. "Tendo como base a promoção e mediação da leitura, pretende-se valorizar a criatividade e a imaginação e originar momentos memoráveis em torno do livro e da narração de histórias."



9.4.18

Encontro com autores

Em mais um “Encontro com Autores” Ana Aranha e Carlos Ademar vão falar do seu livro “No limite da Dor”, dia 13 de Abril às 18h na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos.

Quarenta anos depois do 25 de Abril, os antigos presos políticos falam da sua passagem pelas cadeias do Estado Novo. Num exercício muitas vezes doloroso, resgatam um passado violento do fundo das suas memórias que se traduz em testemunhos intensos, amargurados ou tranquilos, ressentidos ou indultados.
Baseado no celebrado programa homónimo da Antena 1, No Limite da Dor é um tributo à coragem de todos os lutadores, humilhados e torturados, cujo corpo e alma foram reduzidos à sua expressão mais primária, vítimas da barbárie das polícias de Salazar. O livro contém testemunhos inéditos de ex-presos políticos, como Fernando Rosas, Edmundo Pedro, Conceição Matos, Helena Pato, Joaquim Monteiro Matias, José Pedro Soares, Justino Pinto de Andrade ou Luís Moita, entre muitos outros.

ANA ARANHA Nasceu em Torres Vedras. É licenciada em Ciências da Comunicação. Em 1986 ingressou na Antena 1, na qual realizou inúmeros programas, de que se destacam Portugal na I Guerra, A Guerra Civil de Espanha, O Centenário da República, Histórias Clandestinas, No Limite da Dor ou A Vida dos Sons, este com Iolanda Ferreira. Em 2011 foi galardoada com o Prémio Pró-Autor da SPA. Em 2017 o programa Calar, Nunca! recebeu o Prémio de Jornalismo Direitos Humanos & Integração na categoria de rádio, atribuído pela Comissão Nacional da UNESCO e pela Secretaria Geral da Presidência do Conselho de Ministros. É ainda responsável pelo ciclo de tertúlias «Vidas Prisionáveis», organizado pelo Museu do Aljube – Liberdade e Resistência.

CARLOS ADEMAR Nasceu em Vinhais. Licenciado em História e mestre em História Contemporânea (Universidade Nova de Lisboa). É professor na Escola de Polícia Judiciária, colaborou na formação de órgãos de investigação dos PALOP e um dos fundadores da Revista de Investigação Criminal. É autor da biografia Vítor Alves: O Homem, o Militar, o Político e dos romances O Caso da Rua Direita, O Homem da Carbonária, Estranha Forma de Vida, Memórias de Um Assassino Romântico, Primavera Adiada, O Bairro, O Chalet das Cotovias e Na Vertigem da Traição. É ainda co-autor, com Ana Aranha, de No Limite da Dor, baseado no programa homónimo da Antena 1.

5.4.18

7 de abril "Uma Noite na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos"

Para comemorar o Dia Internacional do Livro Infantil as bibliotecas do Algarve terão uma programação alargada e todas, no mesmo dia, 7 de Abril, vão juntar crianças, pais e outros familiares para ouvir, ler e contar histórias.


Dia Internacional do Livro Infantil é dia 2 de Abril, mas escolheu-se o sábado para permitir uma maior participação, fora do período de aulas.
Biblioteca Municipal de Tavira junta-se à iniciativa, partilhando livros, leituras e contos, juntando-lhes um pequeno jantar convívio. 
Mais uma vez contaremos com os Lobitos da Alcateia do agrupamento 100 – TAVIRA que integram esta comemoração no seu plano anual de atividades. Tendo como base a promoção da leitura pretende-se valorizar os momentos em família, incentivando a criatividade e a imaginação.

3.4.18

O Autor do mês - Todos os meses, um autor em destaque!


Roald Dahl nasceu a 13 de setembro de 1916, em Llandaff, no País de Gales. Oriundo de uma família de comerciantes noruegueses, o pai faleceu quando tinha apenas quatro anos. Para que tivesse uma boa educação, a mãe vendeu as suas joias a fim de o enviar para um colégio particular em Derbyshire, que o marcou pela brutalidade instituída.

Concluídos os seus estudos aos dezoito anos de idade, preferiu juntar-se a uma expedição pesqueira à Terra Nova em vez de prosseguir para a universidade. Regressando a Inglaterra, começou a trabalhar em 1933 nos escritórios de Londres de uma conceituada companhia petrolífera europeia, sendo destacado para a Tanzânia em 1937.
Com a deflagração da Segunda Guerra Mundial, alistou-se na Real Força Aérea, voando em missões sobre a Grécia, sobre a Síria (onde ficou ferido) e a Líbia (onde fraturou o crânio após a sua aeronave ter sido abatida). Em convalescença do seu traumatismo, terá tido sonhos estranhos cuja recordação procurou anotar. Assim, instigado por C. S. Forester, publicou o seu primeiro conto A Piece Of Cake, no Saturday Evening Post.
Em 1942 foi destacado para Washington como adido de aeronáutica para o Serviço de Segurança Britânico, sendo promovido a comandante de esquadrão no ano seguinte. Nesse mesmo ano de 1943 publicou o seu primeiro livro infantil, The Gremlins , destinado a servir de argumento a um filme para os estúdios de Walt Disney.
Em 1954 publicou Someone Like You (1953), uma compilação de contos que constituiu um sucesso de vendas considerável, repetido com o aparecimento de Kiss, Kiss (1959). Grande número de contos de ambas as obras foi adaptado para televisão, nomeadamente para a famosa série Alfred Hitchcock Presents .
Regressou à literatura infantil em 1961 com James And The Giant Peach , a que se seguiu Charlie And The Chocolat Factory (1964). Não obstante,revelou-se um escritor de cunho sólido mas bem-humorado com o aparecimento de My Uncle Oswald (1979), o seu primeiro romance, em que conta a história de um jovem aventureiro que descobre em terras de África um misterioso pó que lhe concede o dom infalível de seduzir o sexo oposto.
Galardoado com vários prémios literários de renome, Roald Dahl faleceu a 23 de novembro de 1990, em Oxford.