2.12.21

Hora do Conto: "Os óculos do Pai Natal"

"Os Óculos do Pai Natal

de Alice Cardoso
ilustrada por Chico

Editora Nova Gaia

O Pai Natal sentou-se na sua cadeira de baloiço, disposto a ler as cartas de todas as crianças do mundo. Para as compreender, precisava dos seus óculos tradutores.
Procurou-os no bolso e ficou preocupado quando se apercebeu de que os tinha perdido.
E agora? Como poderá o Pai Natal saber quais os presentes que cada criança gostaria de receber?

Será que vai acontecer um verdadeiro milagre de Natal?

1.12.21

“O Gato de Uppsala” de Cristina Carvalho

“O Gato de Uppsala”
de Cristina Carvalho

Dia 10 de Agosto de 1628, Elvis e Agnetta, foram salvos por um gato.
Uma história de amor, de viagem e descoberta. Dois jovens apaixonados, sonhavam ir ver o mar e o grande Vasa, navio de guerra mandado construir pelo rei da Suécia. Empreenderam assim uma viagem, a pé, desde Uppsala até Estocolmo, levaram o seu gato e é este o grande protagonista.
Cristina Carvalho (filha de Rómulo de Carvalho e Natália Nunes, também eles escritores), viajou muito e como ela afirma, o oeste português e a Escandinávia fascinam-na.
A sua escrita é leve e profunda, de um encanto, mágico. Do tempo em que os animais falavam…
Um livro de encantar.

Veja outras sugestões de leitura  Aqui

Envie-nos também as suas sugestões de leitura para

biblioteca@cm-tavira.pt

26.11.21

Encontro com Autores: Bruno Pimpão

"Figas, O Fantasma de bom coração"

Bruno Pimpão

Tudo tem início, quando Xavier e a sua turma escolar visitam o teatro da cidade e deparam-se, aí, com uma figura fantasmagórica. Conduzidos pelo guia do teatro, estes jovens embarcam numa viagem conhecendo assim, o nosso Figas.

Esta obra leva-nos numa fantástica história intemporal, contando-nos a paixão de um jovem rapaz, pela arte e magia do mundo do Espetáculo.

Deixem-se levar nesta incrível e apaixonante aventura sem nunca se esquecer de sorrir à vida.

Bruno Pimpão

Nascido e criado junto às muralhas do castelo de Tavira, Bruno Pimpão, é um jovem cozinheiro de 38 anos. Nos seus tempos livres dedica-se ao teatro e à escrita, e já teve até um programa de rádio, na sua cidade natal. Lança-se agora como escritor, com a sua primeira obra intitulada Figas, O fantasma de bom coração.

25.11.21

O elefante diferente (que espantava toda a gente)

"O elefante diferente"
(que espantava toda a gente)

de Manuela Castro Neves, com ilustrações de Madalena Matoso

editora Caminho

Era uma vez, um elefante diferente.A sua tromba era muito comprida, o que era motivo de espanto para toda a gente.A tromba do elefante, além de muito comprida, era também muito rebelde - ou seja, não se contentava com o seu papel tradicional e tinha uma vida muito independente.

23.11.21

Exposição de pintura, "Painting Tavira" por Leena Rekola

Leena Rekola

Painting Tavira

Leena Rekola, é finlandesa, tendo ido viver desde cedo, com os seus pais para a Suécia.

Desde sempre que gostou de pintar e por isso estudou pintura, no Art Institute em Boston entre 1971 e 1974. Um dos seus professores foi Jason Berger, com quem acabou por casar, mais tarde.

Vieram para Portugal, viveram e pintaram em Lisboa e Tavira, onde acabaram por permanecer, por se terem apaixonado por esta cidade.

A Leena sempre pintou inspirada pelos lugares que a envolviam, passando para a tela o que a rodeava, o seu olhar sobre o que a rodeia faz parte do seu processo criativo.

Em Tavira, pintou paisagens, os barcos de Santa Luzia e posteriormente os interiores de casas inclusive da sua, quer em Tavira como em Täby, sua segunda casa na Suécia.

Ao longo da sua vida participou em várias exposições, quer individuais quer coletivas.

O seu trabalho, está ligado ao expressionismo de Boston, influenciada por Jason com quem aprendeu e partilhou a sua vida.

Trata-se de uma exposição temática, retrospetiva que representa a sua passagem por Tavira e o que a inspirou nos momentos que partilhava a sua vida com Jason.

O azul sempre presente leva-me ao poema de Nuno Júdice,

Receita para fazer o Azul

Se quiseres fazer azul,
pega num pedaço de céu e mete-o numa panela grande,
que possas levar ao lume do horizonte;
depois mexe o azul com um resto de vermelho
da madrugada, até que ele se desfaça;
despeja tudo num bacio bem limpo,
para que nada reste das impurezas da tarde.
Por fim, peneira um resto de ouro da areia
do meio-dia, até que a cor pegue ao fundo de metal […]

Dia 25 de Novembro, pelas 17h00,
haverá uma pequena vernissage e
encontro com a autora.


Novidades na Biblioteca - Novembro